CURSO ONLINE: História(s) da arte —possibilidades de percurso além da fronteira

Atualizado: há um dia



Coordenação: Aldones Nino

Ementa do curso

O curso tem por objeto a produção artística dos países que fazem fronteira geográfica com o Brasil, almejando o alargamento das vias de compreensão das história(s) da arte latino-americana, atravessada por inúmeros processos coloniais. A partir de questões de ordem formal, filosófica e social, cada aula apresentará um pequeno panorama da história da arte dos países vizinhos, introduzindo discussões sobre a construção e as relações de diferentes identidades a partir de marcadores de classe, etnia, gênero e nacionalidade.


O curso compreende análises críticas coletivas, leituras de textos e a apresentação de produção artística e teórica pertinentes às demandas do curso. Nesse sentido, cada encontro terá como norteadora a produção referente aos seguintes países: Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana, Guiana Francesa, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Dinâmica e bibliografia

Curso semanal, em 12 encontros virtuais via plataforma Zoom, às quartas, das 18 às 20h, do dia 23 de setembro ao dia 9 de dezembro


1. Introdução I - Arte em Abya Yala e a problemática do rótulo (23/09)


Textos

Silvia Rivera Cusicanqui. Ch’ixinakax utxiwa. Una reflexión sobre prácticas y discursos descolonizadores (2010);

Maria Morethy Couto. Para além das representações convencionais: A ideia de arte latino-americana em debate (2017);

Aldones Nino. História da arte e estudos decoloniais: proposições e escritas anti-hegemônicas (2020).


2. Introdução II - Projetos Curatoriais e Arte da América Latina (30/09)


Textos

Gaudência Fidelis. Modelos curatoriais em exposições com foco na exibição da arte da América Latina (2015);

Bianca Knaak. Primeira Bienal do Mercosul: uma exposição para a história da arte na América Latina (2017); Mariah Rafaela Silva;

Emanuel de Almeida; Lorena de Paula Perasoli. Cura-dor: sobre contágios, fissuras e práticas anticoloniais (2020).


3. Argentina (07/10)

Apropriação e posicionamentos anti-hegemônicos


Artistas: León Ferrari, Tucumán Arde e Graciela Carnevale.


Textos

Emerson Oliveira. O inferno na obra de León Ferrari: questões de apropriação da história da Arte (2007);

Felipe Prando. Tucumán Arde e a primeira bienal de arte de vanguarda (2016).


4. Venezuela (14/10)

Da iconografia colonial ao colecionismo contemporâneo


Artistas: Marisol Escobar e José Antonio Hernández-Díez.


Textos

Julia Buenaventura. Martins versus Mondrian. Uma história da história. Arte na América Latina (2018);

Elizabeth Hernández. Multiculturalismo y Crítica Poscolonial: La Diáspora artística latinoamericana - 1990-2000 [Capítulo 8];

Emily Williams. Threads of Identity: Marisol's Exploration of Self (2013).


5. Bolívia (21/10)

Imagens de subalternização e intromissões poéticas


Artistas: Guzmán de Rojas e Guiomar Mesa.


Textos

Pilar Contreras. Arte contemporáneo - Violencia: metáfora individual y colectiva (2007);

Pedro Querejazu. ? Arte de la periferia? Aproximación al arte boliviano (1997);

Valeria Paz. Intromisiones femeninas en el arte boliviano de fines de los noventa. La obra de Guiomar Mesa, Erika Ewel y Valia Carvalho (1998).


6. Guiana - Entre o pessoal e o imperial: fotografia e carnaval (28/10)


Artistas: Ingrid Pollard e Peter Minshall.


Textos

Mathilde Bertrand. The politics of representation and the subversion of landscape in Ingrid Pollard's Pastoral Interlude (1987);

Lola Young. Environmental images and imaginary landscapes (1995);

Claire Tancons. Curating Carnival? Performance in contemporary caribbean art (2012)


7. Paraguay - Toda a circulação de imagens é política (04/11)


Artistas: Guido Boggiani, Erika Meza & Javier López e Feliciano Centurión.


Textos

Alejandra Reyero. Imagen, objeto y arte: la fotografía de Guido Boggiani (2011);

Margarita Sánchez Prieto. Esto no es Uruguay (2013);

María Laura Rosa. Cuando la intimidad es política. Arte y homosexualidad en el Centro Cultural Ricardo Rojas de Buenos Aires durante los años ’90 (2015)


8. Guiana Francesa - Território em disputa: entre o patrimônio cultural Wajãpi e a arte contemporânea (11/11)


Artistas: Mathieu Kleyebe Abonnenc, Nathalie Leroy-Fiévée e Audry Liseron-Monfils.


Textos

Iuri Clavak. Em torno das origens da Guiana Francesa: dos primórdios ao século XIX (2016);

Mathieu Kleyebe Abonnenc. Sobre la soledad (2018);

Giovani José da Silva. História e Antropologia nas fronteiras do extremo norte do Brasil (2014)


9. Suriname - Arte e modos de territorialização: a presença na história (18/11)


Artistas: Remy Jungerman & Iris Kensmil e Marcel Pinas.


Textos

Olivia Cunha. Vivendo em mundos saturados de várias presenças (2020);

Ferdinand van Dieten. The history of the Universal Negro (2008), A history for the future (2013), Shifting Colours (2014).


10. Colômbia - Subjetividades e imagens da violência na arte contemporânea (25/11)


Artistas: Fernando Botero, Doris Salcedo e Beatriz González.


Textos

Nubia Ruiz. El tema de la violencia como denúncia social (2006);

Carmen Maria Jaramillo. Em primeira Pessoa: poética da subjetividade no trabalho de artistas colombianas, 1960-1980 (2018);

Víctor Manuel Rodríguez. Los Espejos de Beatriz González Modernismo, Postcolonialidad e Identificación (1996).


11. Uruguai - O Sul Global: insurreições cartográficas e de gênero (02/12)


Artistas: Torres Garcia, Luis Camnitzer e Sofía Saunier.


Textos

Joséli Gomes. “Nuestro norte es el sur” como mote para repensar a integração regional sul-americana ... (2016);

Patricia Bentancur. Panorama del Arte contemporáneo en Uruguay (2016);

Cayo Honorato. A arte como atitude – Entrevista de Luis Camnitzer (2008); Hirra de Perra. Interpretações imundas de como a Teoria Queer coloniza nosso contexto sudaca … (2014)


12. Peru - Ativismo político e prática artística: quando a violência se impõe (09/12)


Artistas: Daniela Ortiz, Colectivo Sociedad Civil e Giuseppe Campuzano.


Textos

Flávia Vieira Resende. Arte pós-violência no Peru: as experiências do Colectivo Sociedad Civil e de Yuyachkani (2016);

Francisco Pizarro Gómez. Identidad y mestizaje en el arte barroco andino (2003)

Inscrições e investimento

Investimento: 3 parcelas de R$ 250

Aula avulsa: R$80


Estudantes possuem desconto de 50% no valor total do curso.

Os pagamentos podem ser feitos via depósito, boleto bancário ou cartão de crédito.

Em casos especiais, de impossibilidade de pagamento, entrar em contato com a galeria.


Realize sua matrícula aqui


Sobre o professor

Bacharel e Licenciado em Filosofia pela Universidade São Judas Tadeu, Bacharel em História da Arte pela UFRJ. Mestre em História, Política e Bens Culturais pelo Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil da FGV/RJ e doutorando em Historia y Arte pela Universidade de Granada em cotutela com a UFRJ.

 Villa Aymoré - Ladeira da Glória, 26 - RJ 
terça - sábado | 13h - 18h 
galeriaaymore@gmail.com
Apoio:
landmark.png
Parceiros:

A Galeria Aymoré busca adaptar à soluções de exposição que não impactem o meio ambiente. Não produzimos material de distribuição e nosso design utiliza apenas papel reciclável.

Sugestões de como diminuir impacto ambiental são bem vindas.

Todos os cursos e produtos vendidos neste site são de responsabilidade da empresa Gabriela P Q Davies Exposições de arte, CNPJ 32.204.342/0001-10, Ladeira da Glória, 26.

Tempo de entrega variável.

  • Landmark
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon