[NOVAS DATAS] História(s) da arte —possibilidades de percurso além da fronteira

Atualizado: 30 de Set de 2020



Coordenação: Aldones Nino

Ementa do curso

O curso tem por objeto a produção artística dos países que fazem fronteira geográfica com o Brasil, almejando o alargamento das vias de compreensão das história(s) da arte latino-americana, atravessada por inúmeros processos coloniais. A partir de questões de ordem formal, filosófica e social, cada aula apresentará um pequeno panorama da história da arte dos países vizinhos, introduzindo discussões sobre a construção e as relações de diferentes identidades a partir de marcadores de classe, etnia, gênero e nacionalidade.


O curso compreende análises críticas coletivas, leituras de textos e a apresentação de produção artística e teórica pertinentes às demandas do curso. Nesse sentido, cada encontro terá como norteadora a produção referente aos seguintes países: Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana, Guiana Francesa, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Dinâmica e bibliografia

Curso semanal, em 12 encontros virtuais via plataforma Zoom, às quartas, das 19h às 21h, do dia 23 de setembro ao dia 9 de dezembro


1. Introdução I - Arte em Abya Yala e a problemática do rótulo (30/09)


Textos

Silvia Rivera Cusicanqui. Ch’ixinakax utxiwa. Una reflexión sobre prácticas y discursos descolonizadores (2010);

Maria Morethy Couto. Para além das representações convencionais: A ideia de arte latino-americana em debate (2017);

Aldones Nino. História da arte e estudos decoloniais: proposições e escritas anti-hegemônicas (2020).


2. Introdução II - Projetos Curatoriais e Arte da América Latina (07/10)


Textos

Gaudência Fidelis. Modelos curatoriais em exposições com foco na exibição da arte da América Latina (2015);

Bianca Knaak. Primeira Bienal do Mercosul: uma exposição para a história da arte na América Latina (2017); Mariah Rafaela Silva;

Emanuel de Almeida; Lorena de Paula Perasoli. Cura-dor: sobre contágios, fissuras e práticas anticoloniais (2020).


3. Argentina (14/10)

Apropriação e posicionamentos anti-hegemônicos


Artistas: León Ferrari, Tucumán Arde e Graciela Carnevale.


Textos

Emerson Oliveira. O inferno na obra de León Ferrari: questões de apropriação da história da Arte (2007);

Felipe Prando. Tucumán Arde e a primeira bienal de arte de vanguarda (2016).


4. Venezuela (21/10)

Da iconografia colonial ao colecionismo contemporâneo


Artistas: Marisol Escobar e José Antonio Hernández-Díez.


Textos

Julia Buenaventura. Martins versus Mondrian. Uma história da história. Arte na América Latina (2018);

Elizabeth Hernández. Multiculturalismo y Crítica Poscolonial: La Diáspora artística latinoamericana - 1990-2000 [Capítulo 8];

Emily Williams. Threads of Identity: Marisol's Exploration of Self (2013).


5. Bolívia (28/10)

Imagens de subalternização e intromissões poéticas


Artistas: Guzmán de Rojas e Guiomar Mesa.


Textos

Pilar Contreras. Arte contemporáneo - Violencia: metáfora individual y colectiva (2007);

Pedro Querejazu. ? Arte de la periferia? Aproximación al arte boliviano (1997);