Plural: A caju encontra a Aymoré

PLURAL – A Caju encontra a Aymoré reúne um conjunto de exposições, ações e performances com inauguração no dia 12 de outubro, sábado, às 17 horas, na galeria Aymoré, da Villa Aymoré, na Glória. O programa, que abriga quatro mostras individuais, quatro coletivas e uma intervenção poética, é fruto de uma parceria do espaço com a Caju, plataforma que agrega uma revista digital de arte e cultura e um banco de cursos e projetos.

PLURAL surgiu a partir do encontro entre as curadoras Gabriela Davies, da Aymoré, e Daniela Name, da Caju, que descentralizaram as curadorias das mostras coletivas de videoarte (Loli Brito, Lucas Albuquerque e Camila Mira) e performance (Luana Aguiar) e foram responsáveis pelo convite às cinco artistas com participações solo no projeto: Danielle Cukierman (“Rota de fuga”), Lia Chaia (“Percurso”), Lyz Parayzo (“Lyz 40°”) e Regina Parra (“Dias felizes”) fazem suas primeiras individuais no Rio de Janeiro. A artista e poeta Katia Maciel apresenta a intervenção sonora e literária inédita “Zuada”.

A artista e pesquisadora Luana Aguiar assina a curadoria de “Pulso”, mostra de trabalhos em performance com artistas das artes visuais e da dança. “Pulso” aposta na diversidade de experimentações que se utilizam do corpo vivo para tratar de assuntos como território, memória, religiosidade, animalidade, feminismo e racismo. As artistas se apresentarão em duas sessões: a primeira no dia 12 de outubro, durante a abertura (obras de Lais Castro, Mery Horta, Panmela Castro e Patrícia Francisco) e a segunda no dia 23 de novembro (obras de Jessica Kloosterman, Juliana Wähner, Marcela Antunes e Mariana Maia). Também neste dia curadores e artistas recebem o público para uma visita comentada.

Os programas de vídeo apresentam visões distintas sobre a linguagem. Em “Sobre os excertos da matéria”, Lucas Albuquerque reúne trabalhos de Ana Costa Ribeiro, Laura Erber, Leila Danziger e Regina de Paula a partir de um denominador comum: a presença de um objeto impresso (livro, manuscrito) como índice de narração e de opacidade. Em “Atravessar”, Loli Brito acessa sua pesquisa sobre curadorias e artistas não-brancas para apresentar reflexões sobre produção de vida e deslocamento a partir do trabalho das artistas Ana Almeida, Edzita e Marta Supernova e vídeos de arquivo do CULTNE. Todos os trabalhos tangenciam de alguma forma a ideia da transição entre processos de morte e vida, sejam eles individuais ou coletivos. Na terceira mostra de videoarte, Camila Mira trabalha a ideia do deslocamento pela ponte Rio-Niterói, convocando trabalhos de artistas niteroienses para pensar modos de localizar nesse trânsito com obras de Beatriz da Matta, Núbia Mobo e Seres de Seregera.

Outubro de 2019.

Curadoria

Camila Mira, Daniela Name, Gabriela Davies, Luana Aguiar, Loli Brito e Lucas Albuquerque.

Artistas

Acervo CULTNE, Ana Almeida, Ana Costa Ribeiro, Beatriz da Matta, Danielle Cukierman, Edzita SigoViva, Jessica Kloosterman, Juliana Wähner, Kátia Maciel, Lais Castro, Laura Erber, Leila Danziger, Lia Chaia, Lyz Parayzo, Marcela Antunes, Mariana Maia, Marta Supernova, Mery Horta, Núbia Mobo, Panmela Castro, Patrícia Francisco, Regina de Paula, Regina Parra, Seres de Seregera

Data de exibição

12/02/2019 - 23/11/2019

 Villa Aymoré - Ladeira da Glória, 26 - RJ 
terça - sábado | 13h - 18h 
galeriaaymore@gmail.com
Apoio:
Parceiros:

A Galeria Aymoré busca adaptar à soluções de exposição que não impactem o meio ambiente. Não produzimos material de distribuição e nosso design utiliza apenas papel reciclável.

Sugestões de como diminuir impacto ambiental são bem vindas.

  • Landmark
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon